A Full Circle leva a saúde a todo o lado

A Full Circle leva a saúde a todo o lado através da sua plataforma de teleconsultas.

Sediada na incubadora de empresas Instituto Pedro Nunes (IPN) em Coimbra, a Full Circle desenvolveu uma plataforma de teleconsultas para estabelecer a ligação entre utentes e médicos particulares, hospitais privados e clínicas, através de computadores, tablets e smartphones ligados à Internet.

O projecto proporciona cuidados de saúde de qualidade através de consultas vídeo em tempo real que se destinam a utentes que residem em áreas isoladas e também àqueles que pretendem poupar tempo e dinheiro em deslocações, permitindo acesso a serviços médicos qualificados.

Segundo o fundador e CEO da Full Circle, Dimitar Kókov, “a missão da startup é tornar a vida dos utentes mais fácil, proporcionando-lhes a marcação de consultas regulares a partir do conforto do seu lar ou de qualquer outro lugar conveniente, beneficiando de uma lista alargada de médicos especialistas. Pretendemos contribuir para a diminuição do número de pessoas sem acesso a cuidados de saúde primários – só em Portugal este número chega às centenas de milhar, sendo este um problema à escala europeia. Para estas dificuldades contribuem a localização geográfica do utente, as suas condições de trabalho que muitas vezes não permitem que se ausente para ir a uma consulta, os custos e o tempo associados às deslocações, bem como o risco de exposição a doenças nas instituições de saúde. Nós conseguimos estabelecer a ligação entre um utente que resida em Bragança e um médico que se encontre num hospital em Lisboa numa questão de segundos, eliminando todos estes obstáculos.

Exemplificando, há meses acompanhei um familiar numa deslocação de Coimbra para o Porto para uma consulta médica de segunda opinião. Contabilizando a viagem de carro e o tempo de espera no consultório médico, todo o processo demorou mais de 4 horas. Além disso, a deslocação custou cerca de 40€, incluíndo portagens e combustível. A consulta em si demorou 15 minutos, tendo sido discutidos pormenores sobre a sintomatologia e dados de exames realizados anteriores. Com a plataforma Full Circle, o utente teria poupado mais de 4 horas, 40€ e ainda todo o incómodo inerente à deslocação.

Faz também parte da nossa missão beneficiar os profissionais de saúde, uma vez que a nossa plataforma expandirá a sua área geográfica de actuação, lista de utentes e rendimento.

Pensamos também no setor empresarial e por isso criamos planos atrativos para as empresas, de modo a diminuir o absentismo dos seus trabalhadores por motivos de saúde e de frequência de consultas médicas, que traz anualmente prejuízos significativos à economia”.

A Full Circle nasceu em Dezembro de 2016, tendo sido seleccionada 3 meses depois para o programa StartUP Voucher, uma das medidas da StartUP Portugal, e foi escolhida para fazer parte do Web Summit 2017 em Lisboa, entre as startups mais promissoras do país.

Para mais informações poderá consultar o site da Full Circle em www.web.web.fullcircle.pt